VOCÊ É UM DEVEDOR, POUPADOR OU INVESTIDOR?

A educação financeira é um processo de recompensas ilimitadas, mas que pode envolver algumas etapas dolorosas no início:

  • Para economizar, você deve aprender a se manter organizado antes.
  • Para quitar suas dividas, precisa aprender a economizar.
  • Para definir objetivos financeiros, é importante que aprenda como quitar suas dividas.
  • Para escolher seus investimentos, deve aprender a definir corretamente seus objetivos.
  • Para acompanhar seus investimentos, precisa entender como escolhê-los.
  • Para melhorar seus rendimentos, deve aprender como acompanhar seus investimentos.
  • Para alcançar a independência financeira, precisa aprender como melhorar seus rendimentos.

Não é possível pular etapas. Não dá para “ficar rico” do dia para a noite. Mas dá para enriquecer todos os dias, quando um passo é dado de cada vez.

Essa experiência libertadora que nos proporciona enxergar o caminho para a realização dos nossos objetivos ainda é uma realidade distante da maioria da população.

Milhões de brasileiros permanecem endividados por toda a vida e transmitem essa herança de maus hábitos financeiros para os filhos.

Desde cedo somos estimulados ao consumo e endividamento desmedidos. Como num vírus que em avassaladora epidemia ataca a todas as classes sociais.

Pois sim, existem muitos “ricos” endividados. Sobreviventes de um mundo de aparências.

O status quo predominante diz que você deve gastar todo o salário que tem e que não tem, todos os meses. Afinal, “construir a felicidade é consumir o impossível, no menor prazo possível.”

Mas não é o seu caso, pois você chegou até aqui. Experimente a partir de hoje investir no seu Conhecimento Financeiro.

CONHEÇA MAIS PARA DECIDIR MELHOR

Para alcançar seus objetivos financeiros é necessário definir qual perfil de conhecimento e comportamento financeiro você mais se identifica. Seja sincero com VOCÊ!

DEVEDOR, POUPADOR OU INVESTIDOR. QUAL PERFIL VOCÊ MAIS SE IDENTIFICA?


O Devedor – Gasto toda minha renda e mais um pouco. Não deixo de comprar o que desejo ou de viver uma experiência por falta de dinheiro. Se precisar pego emprestado com alguém ou com o banco! Não resisto a uma liquidação. Com frequência estouro o limite do cartão e estou sempre endividado. Parece que o dinheiro dura menos a cada mês. Não sei ao certo quanto entra e quanto sai. Vivo no cheque especial, em empréstimos e financiamentos. Já tomei empréstimo de um banco para cobrir a dívida de outro. Até o momento não me preocupei em poupar dinheiro. Na verdade, nem sei por onde começar.

Devedor, poupador ou investidor

O Poupador – Economizo cada centavo do meu salário e posso esperar algum tempo para comprar um objeto de desejo ou viver uma experiência, mas faço questão de pagar à vista. Controlo minhas finanças com uma planilha de receitas e despesas. Não peço dinheiro emprestado! Estou disciplinado a conquistar meus objetivos financeiros o quanto antes, mas conheço pouco sobre investimentos.

Devedor, poupador ou investidor

O Investidor – Sei exatamente quanto ganho e quanto gasto todos os meses. Poupo e invisto meu dinheiro com regularidade. Quero avançar ainda mais minha Educação Financeira, para acelerar a realização dos meus projetos de vida.

Devedor, poupador ou investidor

Não importa em qual etapa você se encontra, ao deixar de ser um devedor para transformar-se em um poupador, e posteriormente em um investidor, você estará trilhando o caminho o seu sucesso financeiro.

Meu objetivo aqui no Conhecimento Financeiro é ajudar você a avançar para a próxima etapa!

  • Eduardo, aqui tem uma excelente opção para iniciar: http://conhecimentofinanceiro.com.br/2016/06/13/tesouro-selic/

  • Michela Roberta Caldeira Gusmã

    Muitos motivos!!! kkkkkkkkkkk

  • Oi Michela. Quase todos nossos objetivos pessoais se confundem com objetivos financeiros. Pense em como deseja sua vida daqui a 5, 10 ou 20 anos. O que quer ter, fazer, onde vai estar? Tenho certeza que têm muitos motivos para focar, rsrs.

  • Michela Roberta Caldeira Gusmã

    Há alguns anos atrás eu era muito devedora. Meu salário caía e já era todo do banco, com o limite de crédito…hoje me controle bem mais, só tenho dificuldade em focar algo para guardar dinheiro…tem a latinha da viagem, a poupança…rsrsrs

  • Eduardo Rodrigues da Silva

    É por estes e outros artigos que lembro com pouca saudade de quando era um analfabeto funcional em finanças: sabia apenas contar as notas e passar o cartão nas maquininhas. Desde que comecei a fazer um controle básico do pouco que entra e do muito que sai passei a sentir um controle, ao menos básico, de minha situação financeira… e foi a partir de iniciativas como esta. Minha próxima ambição é aprender a fazer pequenos investimentos.

  • Olá Vanira. É possível que nosso email de confirmação tenha sido direcionado para sua caixa de spam. Mas observei que você já conseguiu completar a inscrição.
    Obrigado pela visita!

  • Vanira Ayres

    Pode me enviar seus artigos que muito me interssa.

  • Vanira Ayres

    Não consegui concluir a etapa de inserir o email para receber as atualizações.