AVISO URGENTE: VOCÊ PODE TER AÇÕES NA BOLSA E NEM SABER. QUE TAL GANHAR DINHEIRO ASSIM DO NADA?

Que tal ganhar dinheiro inesperado? Preste atenção na informação valiosa e para muitos surpreendente apresentada neste artigo. Vou explicar um direito que muita gente tem, mas poucos sabem.

Se eu te disser que existe uma possibilidade significativa de você ou um parente próximo possuir ações “perdidas” na Bolsa, vai lhe soar estranho?

Então comece a acreditar, pois se você já teve uma linha de telefone no seu nome até 1997 essa possibilidade é real!

Se não for o seu caso, ainda assim continue lendo o artigo. Certamente alguém de sua família vai gostar da novidade.

Vou mostrar o que você deve fazer para descobrir se tem esse direito e como resgatar o seu rico dinheirinho. Vem comigo!

ENTENDA ESSE CASO QUE PODE TE AJUDAR A GANHAR DINHEIRO DE FORMA INESPERADA


Muitas pessoas que “compraram” telefone na década de 1970, até o ano de 1997, têm ações das companhias telefônicas e não sabem.

Por desconhecimento ou até mesmo falta de transparência das empresas estatais, os clientes eram induzidos a acreditar que estavam comprando uma linha telefônica, como se o direito de utilizar um número de telefone fosse um patrimônio.

Ora, hoje todos nós temos clareza que telefonia é um serviço (e o governo sabia muito bem disso na época). Na realidade, o que as pessoas compravam eram as ações da companhia telefônica, o que lhes garantia a instalação da linha (uma venda casada).

Ou seja, naquela época não era possível assinar um serviço mensal de telefonia como hoje. Os clientes se viam obrigados a tornar-se sócios da companhia para usufruir de seus serviços.

Esse processo ficou conhecido como plano de expansão. Foi a forma que o governo encontrou para financiar a expansão da rede, face a um quadro de recursos insuficientes e crescente demanda pelos serviços de telecomunicações.

Depois de aumentar seu capital vendendo novas ações, as companhias utilizavam o dinheiro para ampliar a rede e instalar as linhas.

Esse sistema durou até 1997, quando teve início o processo de privatização das companhias telefônicas.

TENHO DIREITO ÀS AÇÕES?


Antes de tudo você deve ter certeza de que adquiriu a linha telefônica até 1997 e diretamente da companhia telefônica.

Se for o seu caso, mesmo que tenha vendido a linha ou ela tenha sido cancelada por falta de pagamento, você não perdeu seu direito às ações.

Por outro lado, quem adquiriu a linha de terceiros não tem esse direito. Ao revendê-la – o que era comum no passado – transferia-se apenas o direito de utilizar o número do telefone, mas não a posse das ações.

Se você não tem certeza de quem adquiriu a linha tire essa dúvida diretamente na atual companhia telefônica de sua região. Compareça em uma agência de atendimento com seus documentos pessoais e solicite o número de contrato da sua linha adquirida durante o plano de expansão.

Para representar um falecido leve a certidão de óbito e os documentos do falecido.

Mesmo que você não tenha dúvida de que adquiriu a linha da companhia telefônica, se não souber o número do seu contrato deverá ir até uma agência para descobri-lo. Esse número será necessário em um outro momento.

Caso nada seja encontrado é provável que você tenha adquirido a linha de terceiros. Do contrário, prepare-se para ir atrás das suas ações!

Você tem dois direitos:

1.O primeiro direito é receber o dinheiro das ações, caso queira vendê-las (ações que você já possui e provavelmente nem sabia disso);

2. O segundo direito – que poderá lhe trazer a maior parte do dinheiro – trataremos mais adiante.

AONDE ESTÃO MINHAS AÇÕES?


Um alerta contra a picaretagem: existem anúncios por ai de entidades e pretensos corretores vendendo o serviço de “localizar as suas ações”. Evidentemente cobrando uma taxa por isso.

Essas pessoas estão se aproveitando da falta de informação dos consumidores para se locupletar. Não assine nada com elas! Você pode estar passando para um terceiro o direito de vender suas ações e ainda ficar com uma parte do seu dinheiro.

Você não precisa de ninguém para isso. Vou explicar aqui o que deve ser feito para encontrar suas ações e como ganhar dinheiro com elas.

Antes, um brevíssimo histórico para você entender:

Estima-se que na década de 1960 existiam cerca de mil empresas telefônicas em operação no Brasil, muitas com abrangência apenas municipal.

Em 1972 o Governo criou a Telecomunicações Brasileiras S.A. – TELEBRAS, que aos poucos absorveu as companhias telefônicas existentes, dividindo sua estrutura em operadoras estaduais.

Em 1988 a TELEBRAS foi desmembrada em doze novas companhias, além dela própria. Com isso quem detinha suas ações tornou-se acionista de treze companhias diferentes.

Nos anos que se seguiram diversas operações societárias modificaram a estrutura dessas companhias, resultando hoje nas seguintes empresas:

1. Telefônica Brasil S.A. (o nome comercial é Vivo);

2. Tim Participações S. A.;

3. Telecomunicações Brasileiras S. A. (TELEBRAS);

4. Contax Participações S.A.;

5. Claro S.A.;

6. Oi S.A.

Hoje é possível que você possua ações de uma ou mais das companhias acima listadas, e caso disponha dos documentos que comprovem a contratação dos serviços, é muito provável que eles se refiram a companhias que não existem mais.

Você não perdeu suas ações por conta disso. Para encontrá-las será necessário procurar os bancos contratados pelas companhias para custodiar (guardar) as ações:

» Ações da Telefônica, Tim e Telebrás estão no Bradesco;

» Ações da Contax e Claro estão no Itaú;

» Ações da Oi estão no Banco do Brasil.

Se você não localizar as ações no atendimento das agências será necessário questionar diretamente a área de atendimento ao acionista dos bancos.

» Bradesco: (11) 2178-5757 ou 0800-701-16-16

» Itaú: 3003-9285 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800-720-985 (demais regiões)

» Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais) ou 0800-729-0001 (demais localidades)

Depois de localizar as ações basta se cadastrar na corretora de valores de sua preferência, caso queira vendê-las. Você pode vender toda sua posição ou apenas uma parte, conforme sua escolha.

O valor a ser apurado vai depender da quantidade e da cotação das ações no dia da venda.

Dica: se o banco custodiante lhe oferecer a opção de vender as ações para eles, não venda. É muito provável que ofereçam um valor inferior ao que as ações realmente valem no mercado.

Esse artigo está sendo útil para você?

É bom receber um dinheiro que não estamos esperando, não é? Então deixe seu e-mail abaixo para receber em primeira mão muito mais dicas que vão te ajudar a poupar, investir e realizar todos os seus objetivos financeiros.

CONHEÇA MAIS PARA DECIDIR MELHOR

Continue a sua leitura pois a parte mais interessante dessa história vem logo a seguir.

POSSIBILIDADE DE GANHAR MAIS DINHEIRO: O DIREITO DE RECEBER A DIFERENÇA DAS AÇÕES


Existe um aspecto muito interessante de toda essa história e que poderá lhe render muito mais dinheiro que o valor atual das ações.

Em diversas situações as companhias telefônicas estatais não emitiram as ações no momento de aquisição da linha, mas apenas em uma data futura.

Com o efeito da inflação, o poder de compra da moeda diminuiu durante esse lapso temporal, ao passo que as ações se valorizaram no mesmo período.

Em consequência, as ações foram repassadas aos compradores em quantidade inferior a de direito, caso fossem emitidas à época do efetivo pagamento.

Existem diferenças que não foram pagas que facilmente ultrapassam 100% dos valores originais. Mas cada caso é um caso, dependendo do ano e do estado em que foi realizada a compra.

Visando corrigir essas diferenças o Ministério Público moveu um processo em favor dos consumidores, cuja tramitação inciou em 1997 e teve seu desfecho definitivo em 2011.

O MP venceu a batalha, logo, as operadoras foram condenadas a pagar quaisquer diferenças encontradas no valor de conversão das ações, bem como seus rendimentos ocorridos nos últimos 20 anos.

Então o que fazer?

Para reaver as diferenças cada interessado deve acionar a justiça individualmente. A causa já está ganha (sentença transitada em julgado). O prazo para fazer a solicitação termina em 14 de agosto de 2016.

Mesmo que você já tenha vendido suas ações, ainda tem o direito de receber essa diferença, se ela existir no seu caso.

Procure um advogado da sua confiança para que ele analise se você tem ou não valores a reaver.

RESUMO: PASSOS PARA VOCÊ IR ATRÁS DO SEU DINHEIRO AGORA


1. Se você comprou telefone diretamente da companhia telefônica, na época do plano de expansão, na realidade, você comprou ações da empresa;

2. Mesmo que você não tenha mais a linha, não importa o motivo, você ainda tem direito às ações;

3. As ações estão custodiadas em instituições financeiras (guardadas em bancos);

4. Para verificar quantas ações você possui solicite um extrato acionário em qualquer agência do Bradesco, Itaú e Banco do Brasil (tem que ir nos três bancos);

5. Se não conseguir a informação em alguma das agências, entre em contato com a área responsável pelo atendimento ao acionista do respectivo banco;

6. Não aceite uma possível oferta do banco para comprar suas ações. Provavelmente vão oferecer um valor menor do que elas realmente valem;

7. Para vender as ações e resgatar o dinheiro basta escolher a corretora de valores da sua preferência e executar uma ordem de venda pela cotação de mercado;

8. A cotação das ações varia a cada dia, assim, o valor exato que você vai obter só poderá ser conhecido no momento da venda;

9. Além das ações, existem casos que carregam consigo o direito à diferença no valor de conversão das ações;

10. Esse direito já foi reconhecido pela justiça. Basta descobrir se é aplicável ao seu caso. Para isso você deve procurar um advogado da sua confiança;

11. Mesmo que você já tenha vendido as ações, se tiver direito à diferença no valor de conversão, seu direito está mantido.

12. Se você não tem documentos que comprovem a aquisição da linha, procure a companhia telefônica da sua região e peça o número do seu contrato de compra do plano de expansão até 1997. Você vai precisar desse número para entrar com a ação judicial;

Gostou das informações desse artigo?

Se inscreva para receber em primeira mão mais informações que vão fazer a diferença para você, sem encher a sua caixa de e-mail.

Caso haja alguma dúvida não esclarecida, fique à vontade para perguntar.

Forte abraço e até o próximo artigo!