O MOMENTO DA DÉCADA: A OPORTUNIDADE QUE PODE TRIPLICAR SEU PATRIMÔNIO

Primeiro, quero registrar que este artigo não é uma recomendação de investimento na ação A ou B. O objetivo é que você entenda um pouco mais sobre ações e por que o atual momento é uma oportunidade histórica para você entrar nesse mercado.

Você já deve ter ouvido falar que o mercado de ações não é para principiantes. Bem, essa ideia tão propagada no mundo financeiro soa até meio clichê, mas será no todo verdadeira?

Mais da metade dos americanos investe em ações. No Brasil, menos de 1% da população.

Serão a maioria dos americanos bem informados acerca do mercado de ações, e quase a totalidade dos brasileiros composta por “principiantes”?

É razoável acreditar que os americanos – em um país desenvolvido – sejam mais bem informados que os brasileiros, mas não parece ter sentido tamanha desproporção, especialmente quando verificamos que muito mais de 1% da população brasileira já possui curso superior e investe em outros produtos financeiros.

Contudo, mesmo considerando essa parcela mais instruída da população, a grande maioria ainda passa longe do mercado de ações.

Ao que parece, além da falta de informação, prevalecem as diferenças culturais entre os dois países. No Brasil predomina a “cultura do medo”, como se o acesso ao mercado de capitais e seu entendimento fossem restritos a poucos privilegiados.

Mas será que é para tanto?

O que são Ações?

Ações nada mais são do que “fatias” de uma empresa. Quando você compra uma ação, você se torna “dono” dessa fatia. Como a empresa possui várias fatias com donos diferentes, você passa a ser um sócio da empresa.

Como ganhar dinheiro com ações?

Ao se tornar sócio da empresa você adquire alguns direitos. São duas as formas de ganhar dinheiro com ações:

1. Valorização da ação: a empresa como um todo cresceu, aumentou seu patrimônio, e isso se refletiu em suas fatias: as ações passaram a valer mais. Você poderá vendê-las agora, por um preço maior do que comprou, e lucrar com isso.

2. Dividendos: você se tornou sócio da empresa e quer receber por isso. O lucro líquido apurado é distribuído proporcionalmente entre todos os acionistas. É o seu merecido retorno por ser um dos donos da companhia.

CUIDADOS QUE VOCÊ DEVE TER


Devo comprar uma ação só porque ela está muito barata?

Existe um risco comum a todas as ações muito baratas, conhecidas no mercado como penny stocks: qualquer pequena variação no preço da ação representa uma grande variação no percentual do patrimônio investido.

Vou citar um exemplo:

Digamos que a empresa X tem sua ação cotada à R$ 0,20. Considerando que existem empresas cuja ação vale várias dezenas de reais, vinte centavos parece uma pechincha, não?

Mas isso não é necessariamente bom.

Se você investir R$ 1.000,00 nessa empresa, terá comprado um lote de 5.000 ações (1.000/0,20).

Em números absolutos, o valor mínimo qualquer ação pode variar é 1 centavo. Caso essa ação, no dia seguinte à sua compra, desvalorize esse valor mínimo, de apenas 1 centavo, seu investimento terá sofrido, em termos percentuais, uma desvalorização de 5%.

Ou seja, a ação que até ontem valia R$ 0,20, passou a valer R$ 0,19, e seu patrimônio investido diminuiu 5% de um dia para o outro (de R$ 1.000,00 passou a valer R$ 950,00).

Evidentemente que o contrário também poderá ocorrer, com seu patrimônio valorizando 5% após uma variação mínima no preço da ação, mas o que fica aqui é o risco de volatilidade mesmo sobre mínimas alterações, que você estará se sujeitando ao escolher uma ação muito barata.

Não julgue algo barato sem relativizar

O que está “mais barato”, um Uno zero km com cheirinho de novo ao custo de R$ 36 mil reais, ou uma Ferrari seminova de qualquer modelo valendo 10 vezes esse valor? (não existe Ferrari nova por menos de 1 milhão).

Com ações essa análise também é necessária. O seu objetivo é comprar ações baratas, pois possuem uma chance maior de valorização em relação às ações consideradas caras.

Mas isso não significa considerar apenas o valor da ação. A ação da empresa X pode estar sendo vendida a R$ 2,00 e mesmo assim estar muito mais cara que a ação da empresa Y, vendida à R$ 8,00.

Existem diversos indicadores para se apurar se o preço de uma ação está barato ou caro. Todos eles procuram refletir a saúde financeira e as perspectivas futuras da companhia, levando em consideração seu patrimônio, endividamento e lucratividade.

Não é o foco aqui falar sobre esse tema, mas te alertar que não é apenas o valor da ação que você deve considerar. O exemplo acima da Ferrari e do Uno serve para ilustrar isso.

Cuidado com o efeito manada

Se você acompanhar no noticiário que muitas pessoas compraram uma mesma ação, é normal ficar tentado a seguir o movimento. Afinal, “se tanta gente decide comprar a mesma coisa, a coisa deve ser boa.”

Mas o mercado de ações não segue exatamente essa lógica. Quando muitas pessoas procuram a mesma ação, seu preço, por uma lei natural do mercado, tende a subir rapidamente.

Quanto maior a procura, maior o preço.

Se você seguir a manada, quando resolver comprar, o preço provavelmente já estará alto. Você estará realizando os lucros daqueles que compraram a ação quando o preço estava baixo e poucos davam atenção a ela.

Assim, observe esses movimentos antes de se decidir. Não precisa ser um expert para isso. Agora você já sabe que quando uma ação se valoriza muito em um curto espaço de tempo, existe uma chance considerável do preço dessa ação já estar elevado e próximo de uma reversão de tendência.

Corra da volatilidade

A não ser que você pretenda ser um trader, fique longe de ações muito voláteis. Volatilidade é a variável que indica a intensidade e a frequência das oscilações no preço de uma ação ao longo do tempo.

Alguns tipos de ativos, dentre eles principalmente as ações da Petrobrás, são o que eu chamo de “ações esquizofrênicas”.

Por exemplo, você já deve ter ouvido no noticiário que as ações da Petrobrás subiram 5% em um único dia, para caírem 7% no dia seguinte. Uma verdadeira loucura.

Esse tipo de ação, de peso considerável na economia brasileira, além de exercer uma forte influência no “efeito manada”, em diversas ocasiões se apresenta mais suscetível aos movimentos psicológicos presentes no mercado do que propriamente aos fatores estruturantes relativos à gestão da companhia e ao negócio que ela está inserida.

Por mais estranho que possa parecer, é uma coisa de humor mesmo.

Portanto, fuja de ações que variam demais. Procure aquelas que apresentam um padrão de comportamento mais estável, visando ganhos em médio e longo prazo.

Não invista o que você não pode perder

O mercado de ações é de risco? Sim, isso é uma verdade. Você pode perder dinheiro se fizer uma escolha errada? Sim, também é verdade.

Assim, você já deve ter entendido que não deve investir em ações o que você não pode perder. Se você juntou metade da entrada do seu apartamento, não é no mercado de ações que deverá aplicar o valor para tentar conseguir a outra metade mais rápido.

Não coloque todos os ovos na mesma cesta

Uma maneira de diluir seu risco no mercado de ações é a diversificação.

Diversificar significa mesclar seus investimentos, com o objetivo de não se expor a perdas de maneira concentrada em um único tipo de empresa.

Pesquise por companhias de diferentes mercados. Caso seus investimentos fiquem restritos a um único tipo de negócio, qualquer fato que afete negativamente esse mercado poderá exercer uma forte pressão sobre suas ações, resultando em grandes perdas.

Por outro lado, com a diversificação você possui maiores chances de compensar as perdas de um determinado mercado com os ganhos de outro, dando mais proteção ao seu patrimônio.

A HORA E A VEZ DAS AÇÕES. ENTENDA PORQUE ESSE MOMENTO É UMA OPORTUNIDADE HISTÓRICA PARA VOCÊ ENTRAR NESSE MERCADO


Após muito pensar, analisar, escrutinar, ouvir investidores mais experientes, etc, você decidiu investir na empresa XYZ, porque concluiu que ela está barata…

…e no dia seguinte o preço da ação caiu!

Você fica desapontado, pois a empresa tem perspectivas positivas de crescimento e está sendo vendida por menos do que vale, portanto, com uma boa chance de valorização.

Não há motivo para preocupação caso isso venha a ocorrer. Se você concluiu que a empresa possui bons indicadores e está barata, é mais provável que a queda no valor da ação seja temporária, ou represente o fim de uma tendência negativa.

O mercado de capitais é um campo de probabilidades. Se você estudou elas, não se deixe levar pelos sentimentos de emoções passageiras.

Assim, antes de explicar por que esse momento representa uma oportunidade histórica para você investir em ações, é importante que você tenha compreendido o seguinte:

Nenhuma ação é tão baixa que não possa desvalorizar mais.
Nenhuma ação é tão alta que não possa valorizar mais um pouco.

Entendido isso, veja as recentes manchetes abaixo:

triplicar seu patrimônio

triplicar seu patrimônio

As manchetes destacam que recentemente o Ibovespa bateu no menor nível em mais seis anos.

Ibovespa é a sigla para o Índice da Bolsa de Valores de São Paulo. É o indicador que representa coletivamente o desempenho das ações mais negociadas da bolsa brasileira.

Isso significa que o preço de boa parte das mais relevantes ações listadas na bolsa brasileira encontra-se no mesmo patamar de 2009, quando ainda estavam sob influência dos abalos da última grande crise financeira mundial.

Não é possível prever os movimentos de curto prazo do mercado. Ou seja, as ações das grandes empresas brasileiras poderão cair ainda mais, com o agravamento da crise interna atualmente instalada no país.

Mas…

É certo que os preços estão em um dos menores patamares da última década. E é certo que mais cedo ou mais tarde a economia brasileira vai se recuperar.

A melhor hora para investir é quando todos estão com medo.

É evidente que os investidores devem ser cautelosos (lembre-se que em ações você não deve investir o que não pode perder).

Mas não há que se duvidar que a médio ou longo prazo a recuperação virá. E se você comprar agora, na crise, esta recuperação se refletirá em mais dinheiro no seu bolso.

Quanto, é impossível saber. Mas esteja certo que, com boas escolhas, nos próximos anos você poderá até triplicar seu patrimônio investido em ações.

Temos uma economia grande que mesmo em frangalhos atrai a atenção do mundo e das grandes empresas, pela alta demanda que possui.

Ainda há tempo para você se preparar, buscando mais informações acerca do mercado de ações. Tudo indica que a crise não vai acabar da noite para o dia.

Mas não espere muito. Deixar escapar a oportunidade de um momento que se mostra fantástico, esperando acertar exatamente quando será o piso do mercado, pode ser perder o bonde da história.

Não perca o momento do seu embarque.

 

Esse foi um artigo introdutório. É normal que ocorram várias dúvidas. Fique à vontade para deixá-las nos comentários.

Para receber novos artigos que vão te ajudar a entender melhor sobre ações e o que você deve fazer para investir nesse mercado, registre seu e-mail na caixa que fica logo abaixo.

  • Muito obrigado pelos elogios tão gentis Eduardo. Vem muita coisa interessante por ai. Depois me diga o que acha.
    Abraços.

  • Eduardo Rodrigues da Silva

    Um artigo muito bom e escrito em uma linguagem totalmente dialógica… parece que o autor está conversando com a gente; dando uma aula face a face sobre investimentos. Siga assim!

  • Me alegra muito saber que você gostou Ana Paula. Espero que o site continue a lhe ser útil. Fique à vontade se quiser sugerir algum tema do seu interesse.
    Abraços!

  • Ana Paula Cury

    Muito bom o artigo para quem é leiga nesse assunto como eu. Entendi perfeitamente o conceito abordado e a dica do nosso momento atual. Vou pensar e repensar sobre aplicar neste na bolsa, neste momento. O que já é um grande avanço, uma vez que, antes de ler o artigo era uma hipótese totalmente descartada.
    Combinei de ler esse artigo junto do meu marido nesta semana a fim de instituirmos uma estrategia de educação financeira em nosso lar
    Muito obrigada
    Abraço
    Ana Paula